Another Place – Marca de Recife de roupas sem gênero

A indústria da moda já sacou que eliminar a classificação de gênero nas roupas pode ser muito lucrativo, por estar alinhado com a filosofia e tendência de comportamento das novas gerações, tanto que diversas gigantes do meio já aderiram à prática. E várias novas marcas começas a surgir se especializando nisso. Muitas vezes com um discurso em defesa da liberdade de sermos livres como quisermos, de não precisarmos nos dividir ou comportar binariamente, etc etc, o que soa muito bonito, especialmente no momento em que estamos. É isso aí, beleza.

genderless fashion

Fiquei sabendo esta semana da Another Place, uma marca agender de Recife que foi criada no ano passado e cria peças bastante minimalistas, quase tudo preto e branco, e unissex. O objetivo da AP é oferecer uma modelagem com bom caimento em qualquer corpo por isso investem em tecidos e cortes estratégicos.

O design é bem legal e os preços são camaradas. Mas é aquela história: procurou-se estabelecer um “neutro”. E não criar peças que tradicionalmente se enquadrariam nas categorias feminino e masculino e disponibilizá-las (e se propor realmente a vendê-las) pra ambos os sexos. O que eu comentei aqui sobre a Zara.

Eu gosto das peças, sei que muita gente adora esse estilo e está em alta. Mas espero que o genderless não acabe virando “tudo que é bem moderno e minimalista, parecido com o masculino tradicional mas com um decote e ou uma saia aqui e ali”. O que vocês acham?

I Still Belive in Love from Anotherplace on Vimeo.